jump to navigation

Ilegal e Violento 31 31America/Bahia agosto 31America/Bahia 2016

Posted by bluepasj in GENESISTÓRIAS.
Tags: , , , , , , ,
1 comment so far
Skitchin000

CUIDADO Este jogo contém retratações fictícias de ações e manobras, algumas das quais são extremamente perigosas. TENTAR ESSES ATOS OU MANOBRAS PODE CAUSAR SÉRIAS CONTUSÕES. Não se envolva em nenhuma das ATIVIDADES PERIGOSAS mostradas nesse jogo.

O Mega Drive se popularizou com a fama de ser um console mais maduro, feito para um público mais velho. Embora eu não veja isso como absoluta verdade, eu acho que os jogos naquela época eram mais para adolescentes, enquanto antes eram mais para crianças. Talvez acompanhando o envelhecimento dos gamers que haviam começado a jogar em gerações anteriores. Mas o fato é que a Sega e suas aliadas se aproveitaram desses jovens que eram o público dos jogos. Vou comentar aqui sobre alguns jogos da época.

 

Primeiro alguns jogos que usavam da ilegalidade pra ser cooledgy e todas essas palavras difíceis de traduzir para português.

Road Rash

RoadRash2000.png

Sobre rachas de moto, corridas no meio do trânsito e envolvendo violência física. Inclusive, a polícia pode te prender.

Skitchin

138866-skitchin-genesis-screenshot-big-jumps

Sobre patinação de rua no meio do tráfego, pegando beirão nos carros e atacando os competidores com socos e pontapés.

Bonanza Bros
É um jogo do Master System na verdade, postei ele aqui só por motivos de completude. Ele é sobre dois irmãos ladrões, então não deixa de ser sobre algo ilegal.

Bonanza_Brothers_GEN_ScreenShot3


E agora alguns jogos violentos, já que ao contrário da concorrência a Sega não costumava censurar seus jogos. Isso ajudou a definir o console mercadologicamente.

mkombat.gifMortal Kombat
Mortal Kombat gerou muita controvérsia quando foi lançado nos arcades. Ele e outros jogos igualmente violentos foram levados aos tribunais, onde políticos debatiam a violência nos jogos. Foi graças a essa polêmica que a indústria de games criou um sistema de classificação de jogos por idade com base em seu conteúdo, o predecessor do ESRB, o modelo adotado hoje em dia. E grande parte dessa polêmica com certeza tinha a ver com as versões caseiras desses jogos, que se podia jogar do conforto do lar. A versão MD até tem censura, mas com um simples código, coisa comum nos jogos da época, era fácil de-censurar o jogo.

Splatterhouse
A série começou nos Arcades, mas o segundo e o terceiro jogo foram feitos diretamente para o MD. Se trata de uma série de hack ‘n slash (aptamente traduz-se para fatiar e cortar) – gênero de jogo onde se bate nos inimigos usando armas brancas – que tem temática de filme de terror e cujo personagem principal lembra (muito) o famoso assassino em série Jason Vorhees da cinesérie Sexta-Feira 13.

75331-splatterhouse-2-genesis-screenshot-zombies-in-the-dungeon
The Immortal
Um port de PC da época, mantém toda sua violência. O jogo é isométrico de aventura sobre um mago tentando encontrar seu mentor em um labirinto.

The_Immortal_MegaDrive_Genesis_version_Death_Scenes

Doom Troopers
Jogo que se passa no universo do RPG de mesa Mutant Chronicle. O jogo é um spin-off do card game Doom Trooper e é um shooter lateral ala Contra.

Doom Troopers - The Mutant Chronicles001

Eternal Champions
O jogo de luta da Sega tenta pegar carona no sucesso de Mortal Kombat (assim como Killer Instinct do Snes (que tinha violência suave)), pegando também elementos de Street Fighter 2. Os aspectos técnicos e artísticos são bons, só é uma pena que a jogabilidade não seja. O jogo é bastante violento, inclusive a versão Sega CD é bem mais violenta que qualquer Mortal Kombat da época. Mas não é como se a versão MD fosse completamente ausente de violência.

Castlevania & Contra
O Contra e o Castlevania exclusivos do Mega são notavelmente mais dark, mais sangrentos que outros jogos de suas respectivas séries.
(mais…)

Grandes Idéias Sega 19 19America/Bahia setembro 19America/Bahia 2010

Posted by bluepasj in LISTAS, Sega.
Tags: , , , , , , , , , , , ,
2 comments

Fase a cavalo: Essa é do Shinobi 3. Tem uma fase em cima de um cavalo, que é muito bacana.

Fase Musical: Em Ristar, um dos mundos é composto de coisas musicais,como notas e teclas de piano. Tem uma musiquinha muito bacana e guitarras são o maior perigo. O Ristar até dá uma dançadinha.

Casino: Não tem como não figurar nessa lista a clássica fase de Sonic. Mesmo que eu, particularmente, não seja fã dela. Mas foi uma ótima ideia, já que Sonic é praticamente uma bolinha de pinball viva. Mais pra frente nos games 3D, todas as fases de Casino são torturas das mais terríveis.

Fase “Upside-Down”: A Egg Town Act 2 do Sonic & Knuckles/S3&K em que você fica indo pra cima e pra baixo, ora andando normal, ora de cabeça pra baixo.

Labirinto de Phantasy Star 4: Aquele labirinto de PS4 que tem duas paredes de energia, aquilo é genial!

Agarrar: É tudo o que você faz em Ristar. E é o máximo! Foi uma ideia absurdamente maravilhosa da Sega. Pena que não sai um Ristar 2.

Nunca Parar: É a ideia por trás de Sonic. Fazer um game de ação feito para não parar. Onde você pode atacar sem parar, com quase tudo na tela em movimento, e com um ataque que te permite atacar os inimigos de qualquer jeito, o que favorece a velocidade. Com animações que demonstram que o personagem não está gostando de estar parado. E, já no segundo game da série, foi introduzido o spin dash, que te permitia ir com tudo sem precisar de espaço pra isso!

Luz-e-sombra: Vectorman é um jogo com gráficos incríveis, sem chip especial nenhum. E contém incríveis efeitos de luzes, muito bem aproveitados e demonstrados o tempo inteiro com jogos de luz-e-sombra. Raios, gelo, chuva, lava… tudo foi pensado pra valorizar os efeitos de mudança de incidência de iluminação.

Terráqueos são Estranhos: Quem mais poderia ter uma ideia tão genial quanto a de uma game controlando alienígenas contra os terríveis e bizarros seres humanos. Essa é a proposta do originalíssimo Toejam e Earl. Um dos mais engraçados jogos da sua época.

Entrar em um Gibi: A concepção por trás de Comix Zone já diz tudo. E a realização também foi muito feliz em conseguir realmente transpor a ideia para um game perfeito, apesar de difícil e curto.

Técnicas de Duplas: Essa é a base por trás da fama de Streets of Rage 1, já que antes jogar de dois era o máximo possível. Em SoR você tem habilidades pra serem usadas entre os dois em cooperação, o que é muito bacana.

Cair de Pé: Essa é outra ideia que funciona muito bem entre tantas de SoR. Ao ser jogado por inimigos, apertando pra cima+ataque+pulo, você cai em pé e não perde energia.

Boate: Adorei essa ideia e a realização dela em SoR 3.

Ninjitsu: Essa é uma coisa mirabolante de Revenge of Shinobi e Shinobi 3, e as técnicas disponíveis de magia ninja também são bastante originais: pulo muito alto, defesa de trovão, fogo assassino e suicídio assassino. Mó massa, meu!

Níveis de Magia Medieval: Anões carregando potes mágicos já é algo que chama a atenção na série Golden Axe. Eles ainda te roubam durante o sono e você tem que bater neles pra recuperar os potes! O_O É ou não é genial? Bacana mesmo é que o número de potes que você possui determina a potência da sua magia, resultando em algumas delas serem realmente embasbacantes demonstrações de poder.

O Vencedor Reviverá: Esse é o ponto crucial na história de Eternal Champions, e faz com que a trama desse jogo seja inigualável entre os jogos de luta (apesar de MK ter uma história melhor, mas diferente).

Vai-e-Volta: Baseado no pato Donald, a Sega fez um jogo digno da marca Disney, mesmo não tendo sido feito pelos proprietários originais do pato-pimentinha. E a coisa mais divertida nesse título é a jogabilidade “pré-resident eviliana”, de ir e voltar com itens pra poder prosseguir no jogo. Muito divertido, mesmo.

E aí, mais alguma outra ideia da Sega que acha que deveria estar aqui?

Continuações de Jogos de Genesis 18 18America/Bahia setembro 18America/Bahia 2010

Posted by bluepasj in dym, LISTAS.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

*Dark Savior: DS é a continuação do game Landstalkers, feita para

Saturn. Aparentemente, é tão bom quanto o primeiro, mas também muito igual, sem muita evolução.

*Legend of Oasis: Obviamente, é a continuação de Beyond Oasis, também para Sega Saturn. É quase uma expansão do original, de tão parecido que é. Na verdade é um prequel do BO.

*Shinobi: Um game de Shinobi para Saturn e um de Play2. O de Play não fede nem cheira. Por isso mesmo não está à altura do grande clássico. Tinha uma espada que comia sua energia como diferencial. Esse tem uma continuação, também para PS2 chamada Nightshade. Tem também o Shinobi 3DS do 3DS (dã).

*Streets of Rage: Iria ser lançado para o Sega Saturn, produzido por uma empresa chamada Core Design. Entretanto, houve um desentendimento com a Sega, o projeto foi cancelado, a Core o modificou e o lançou para Playstation. É a série Fighting Force.

*Toejam e Earl: Foi criado um game de TeE para X-Box, mas não fez muito sucesso. A maior crítica feita pela imprensa especializada sobre o game foi sobre o fato de a câmera ser muito de cima, te dando um campo de visão muito limitado. Em 2017 está para ser lançado através de financiamento no Kickstarter um novo jogo, Back in the Groove.

*Vectorman: Ia ser lançado um jogo do robô da Sega pra o Playstation 2 mas, por algum motivo, foi cancelado.

*Altered Beast: Foi lançado um game da série para PS2, considerado um jogo muito ruin.

*Golden Axe: Teve outras duas versões. Uma para PS2 e uma para os consoles next-gen x360, ps3 e wii. Nenhuma agradou.

*Sonic: Sonic ficou fora da geração 32-bit, exceto por um game de corrida legal para Saturn, não-feitopela Sega. Depois, voltou com tudo em Sonic Adventure 1 e2, para Dreamcast, jogos muito bons, apenas um pouco abaixo dos jogos originais, o que é uma coisa maravilhosa. Depois, a Sega deixou de ser empresa de consoles e Sonic teve vários games ruins.

*Eternal Champions 3: Havia planos para um EC3, que seria explêndido, pelo que se pode ler do que se acha na internet (em inglês, em sua maioria). Mas, em favor de Virtua Fighter, a Sega cancelou esse projeto. Agora me responde: os dois não poderiam ter sido lançados? Quem quisesse VF o compraria. Quem quisesse EC compraria ele. E ainda haveria quem iria querer os dois. A Sega perdeu a confiança em seus produtos na época do Saturn? Por quê quase nenhum dos games-sucesso do Genesisforam continuados? Mistério.

*Phantasy Star: Phantasy Star é um dos games que pularam o Saturn (!). mas veio arrasando no Dreamcast, sendo o 1º RPG online para consoles de mesa. Hoje em dia, aparentemente, OS é uma auto-cópia. Quem sabe um dia não fazem uma série Phantasy Star tão boa quanto a saga de Algol.

*Ecco the Dolphin: Ecco teve um jogo com gráficos magníficos para o DC. Havia uma certa dificuldade elevada em não saber para onde ir durante o jogo, mas fora isso, era uma aventura muito acima da média.

*Rent-a-Hero: O game que, na geração Mega, ficou perdido no Japão sem tradução, teve o mesmo destino no 128-bit daSega. Também foi lançado, mais tarde, para X-Box.

*Splatterhouse: Teve um jogo novo lançado para X-Box 360 e PS3. Não fez tanto alarde.

*Sparkster: Foi lançado pra ser baixado nos novos consoles um game 2D HD. Chamado simplesmente Rocket Knight, é uma continuação de Sparkster 2 para Mega Drive.

*Gunstar Heroes: GH teve um game para GBA, chamado Gunstar SuperHeroes, e também tem um game que é praticament uma seqüência espiritual/clone para PSX, chamado Gunners Heaven.

*Castlevania Bloodlines: Castlevania Portrait of Ruin do Nintendo DS é uma espécie de continuação de Bloodlines no sentido de que você joga com o filho de John (um dos personagens de Bloodlines) e há muitas referências ao Castlevania de Mega Drive.

*Virtua Fighter: VF continua sendo o que sempre foi. Uma espécie de Street Fighter dos fighting games 3D. É considerado pela grande maioria de gamers fãs de luta em 3D como o melhor de sua categoria.

*Road Rash: Depois do sucesso na época Genesis/PC/3DO, se perdeu em meio a vários jogos ruins para várias plataformas.

*Fifa: A série de futebol nunca conseguiu superar a concorrente da Konami em popularidade, mas mesmo assim ainda é um dos mais importantes jogos de futebol.

*Chakan: Iria ser lançado um jogo da franquia para Dreamcast, mas foi cancelado.

*Comix Zone: Havia planos para uma versão 3D do game de Sketch Turner, que iria ser lançada para Saturn. Outro triste cancelamento.

*Outrun: Teve um game nessa geração (PS360), que foi bem recebido.

*Epic Mickey 2: Power of Illusion: Foi lançada para o 3DS a continuação do clássico Castle of Illusion.

*Hard Corps Uprising: Prequel de Contra Hard Corps feita pela Arc System Works para PSN e XBLA.

…Isso sem contar as cont. de games famosos como MK e SF, que nem vale mencionar.

(mais…)

Dualidade: Eternal Champions e Killer Instinct 13 13America/Bahia setembro 13America/Bahia 2010

Posted by bluepasj in DUALIDADE.
Tags: , ,
add a comment

Esses são, basicamente, os dois principais fighting games exclusivos do Mega e do Snes, respectivamente. E, vale a pena começar dizendo, Killer Instinct é muito melhor que Eternal. É assim, Eternal Champions tem um conceito, uma ideia muito melhor do que KI, anos-luz melhor até, que poderia se tornar um dos games mais impressionantes da época 16-bit. Mas a execução foi um pouco fraca, e a execução de Killer Instinct foi incrível, talvez até melhor do que a concepção. Ou seja, Eternal era pra ter sido um jogo bem melhor.

eternal_champions_image_m5UZrtMC002qedMEternal Champions tem ideias muito bacanas, tentou inovar com um novo estilo de se fazer os golpes especiais, o que praticamente tornou o game injogável. Ele tem um ótima história, ótimos personagens, aliás a trama contada permitiu variar bastante nos estilos dos personagens, já que são pessoas de várias épocas diferentes. O mais bacana sobre eles é que, em sua maioria, ou todos, são pessoas do mal com algo de bom. Também, EC tem alguns dos mais violentos fatalities ever. O nome não é fatality, mas é o que são. Infelizmente, não tem vozes, como os outros games de luta. Mas tem uma boa trilha sonora  e bons gráficos. Além disso, cada personagem tem um estilo de luta, todos baseados em realidade.

killer instinct kiKiller Instinct, por outro lado, tinha uma história boa, também, e, de maneira um pouco forçada, juntou personagens muito diferentes também. KI tem uma trilha sonora fenomenal e gráficos muito bem convertidos para o Snes, mesmo com uma grande perda na conversão, se torna quase imperceptível pelo bom trabalho de conversão da Nintendo/Rare/Midway(?). Também tem finalizações, os No Mercies, que são os fatalities, e os Humiliations, que são uma espécie de friendship, onde você faz seu inimigo derrotado dançar. Apesar de que os fatalities do KI serem beeeeeeeeeem leves, quase sem gore nenhum, mas ainda assim divertidos. Mas o que mais chama atenção nesse ótimo jogo são as seqüências, ou combos, abundantes e abuntantemente nomeados, eles podem ser enormes e são divertidos de ver e de fazer. O jogo tem uma fluidez muito boa, e uma climatização perfeita.

Enfim, EC Challenge from the Dark Side, a continuação para o Sega CD foi fraca, mas muito melhor que o original, e acaba sendo um bom game. Já a continuação de KI, apenas para arcades (não contar a versão para N64, sem nenhum charme), não foi tão boa quanto o original, até mesmo por deixar alguns personagens pra trás e trazer alguns personagens meio sem graça para a mistura. ECCftDS tem, enfim, muito mais qualidades do que KI2, e continua pior do que KI1.

É isso, particularmente, eu sou incapaz de jogar EC, mas um dia talvez eu consiga, já li relatos de gente que joga e acha uma maravilha, por ter um sistema de luta muito profundo, tipo que só hoje em dia surgiu um jogo tão profundo de luta quanto esse. Mas KI tem um estilo de jogo com uma curva de aprendizado melhorzinha, portanto é muito mais popular

Porque Gostar de Mega Drive 1 01America/Bahia maio 01America/Bahia 2010

Posted by bluepasj in INUTILIDADES, LISTAS.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Porque gostar do Mega Drive:
Streets of Rage: Não é só um beat’em up. Ele tem uma história interessante que cada coisinha no game corrobora. Ele um feeling, clima ou atmosfera de beco muito bem feito, em que música, personagens, inimigos, cenários… tudo é perfeito concordando com esse clima. Além de ter inovado seu estilo, com não só jogos de 2players, como técnicas especiais para esse modo. Pode ter começado na onda de Final Fight, mas depois FF teve que ir na onda desse aqui também.

Sonic: Obviamente quem criou Sonic tinha um tombo enorme por Pinball, tanto que o personagem é praticamente uma bola de pinball rebatendo, o game tem algumas fases com clima de beco e até uma com o tema cassino e tem games de Pinball na série. Sonic tem uma jogabilidade perfeita. Sinta-se realmente como um herói radical, enfrentando fases repletas de perigos, inimigos e muita ação.

Golden Axe: Mais um game com clima prfeito. Nesse caso, medieval. Novamente as músicas, os cenários, os personagens, poderes e história dão o clima da aventura épica. Um clássico, uma conversão quase perfeita do Arcade. Sinta-se realmente em uma terra mágica medieval enfrentado hordas maléficas do terrível Death Adder. Aqui tem os vilageiros, florestas destruídas… tudo nos conformes.

Toejam e Earl: A sensação do verdadeiro funk americano!!! A alegria de ser um ET enfrentando alienígenas estranhos: os terráqueos.

Shinobi: Yuzo Koshiro dá o tom pra você se sentir um verdadeiro ninja enfrentando os mais perigosos desafios em esconderijos japoneses, usando técnicas secretas ninjas.

Phantasy Star: A mais perfeita miscigenação entre tecnologia e medievalismo da história dos videogames.

Street Fighter: A versão do Mega tem o clima próprio de SF, o clima de um jogo 2D de verdade, puramente, nada do que a série viria a se tornar quando se deteriororu mais adiante.

Mortal Kombat: A atmosfera densa, sufocante, tensa, nervosa e animalesca. A ação que te pega pelos cabelos e o joga no chão. Pra mim a série só começo mesmo a partir do MK3, quando seu clima estava formado. Pra mim antes eles só estavam testando, começando. O MK3 foi onde surgiram todas as marcas registradas e o clima magistral que contagia tudo nesse game. E o UMK3 é onde tudo é mostrado de uma vez.
Eternal Champions: Apesar da jogabilidade extremamente sofostocada que afastou esse game do grande público… é violentíssimo, um dos mais violentos games de todos os tempos (embora a versão Sega Cd seja ainda mais violenta). E tem uma história que simplesmente é uma das melhores entre os games, é na verdade um game que valoriza muito o enredo. Cada personagem e cenário conta a história. E tem um clima muito legal, e cenários muito bem feitos.

E como o Mega é o videogame da adrenalina………………………..

Skitchin: Seja radical, seja contra a lei, seja um metaleiro louco. Entre nessa estrada, pegue beirão nos carros e vença essas disputas emocionantes.

Road Rash: Você é um motorista fora da lei em uma estrada que te leva à mais emocionante batalha na pista. Sinta a velocidade. Sinta a radicalidade, sinta o escapamento quente… viva!

Quackshot: Encarne um pato investigador histérico, viva a aventura mais indiana jonesca do pato Donald! Descubra os mistérios dessa grande aventura! Use sua inteligência, revele os enigmas e enfrente cada novo desafio com o temperamento explosivo de um pato.

Vectorman: Atire até matar e sinta a vibração na sua alma enquanto a tela chacoalha de maneira enérgica! Pule, ande, atire, pule de novo e atire de novo, tudo ao mesmo tempo! E enquanto você faz isso, o cenário vai continuar se movendo de maneira realística. Pode não ser 3D de verdade, talvez nem seja 3D de mentira, mas realmente é inovador. Efeitos de luz-e-sombra, jogabilidade de Mega Drive, sons incríveis e um personagem que de vez em quando fala algumas palavras. Além disso, se treansforme em outras coisas, viva aventuras em fases com perspectivas nunca antes vistas.

Ristar: Agora você é uma simpática estrelinha malandra, se aventurando por galáxias distantes numa aventura épica. E vai se sentir assim mesmo! Cada fase te dá a real sensação de um novo planeta, cada inimigo parece mesmo um alienígena estranho e a estrela que você controla parece mesmo um personagem real, graças às suas incríveis animações. Imperdível.
California Games: Sinta-se na califórnia praticando esportes radicais. Jogabilidade simples e divertida de arcade, gráficos razoáveis  e trilha sonora inesquecívels. O sol está em alta. Não perca!