jump to navigation

Evolução – Streets of Rage 11 11America/Bahia novembro 11America/Bahia 2011

Posted by bluepasj in EVOLUÇÃO.
Tags: , , , , , , , , , , , , ,
3 comments

Streets of Rage veio para ser o beat’em up da Sega. Ao contrário da grande maioria de jogos no estilo, não veio de um port de arcade, e sim foi feito para o Mega Drive. Apesar de pegar carona no sucesso de Final Fight, o precursor do gênero, SoR se apresenta muito superior em todos os quesitos. Isso ainda com a ajuda de uma trilha sonora vinda da mente do genial Yuzo Koshiro.

streets of rage

Streets of Rage

Bare Knuckle no Japão. O primeiro jogo já veio com tudo. Os gráficos são animais. Os três personagens, que já se tornaram ícones, são muito estilosos e bacanas. E a jogabilidade é caprichada, contendo até mesmo habilidades que são usadas pelos 2 players em conjunto. A trilha de Yuzo Koshiro é uma das melhores de todos os tempos nos games. Mas o verdadeiro grande trunfo está no clima geral do jogo, um clima de beco, um clima soul. Um clima bem diferente do que se usava nos jogos do estilo à época. O único possível contra do jogo são as vozes, mas chega até a ser um charme do jogo.

streets of rage 2

streets of rage 2

Para quase todo mundo o melhor da série. Mas eu prefiro o 1º, por causa do clima (apesar de ter continuado nos outros, o 1º é o que mais tem). A trilha continua soberba. Houve uma pequena variação nos personagens, sendo que o Adam saiu e entrou em seu lugar um menino chamado Skate. E também apareceu o grandalhão Max. Mas os personagens continuam muito bons. As técnicas de dupla se foram. E foi adicionado o golpe especial, algo vindo diretamente dos jogos de luta como Street Fighter. Os cenários também continuam criativos.

Streets of Rage 3 Bare Knuckle 3

Streets of Rage 3

O melhor de todos (exceto pelo clima). Adiciona a corrida, uma barra que, quando cheia, te permite usar golpes especiais sem custo de vida, rolagem para cima e pra baixo na tela e a volta das técnicas de dupla. Os cenários, entretanto não são todos criativos e a música é a menos melhor das 3. Os gráficos deram uma melhorada considerável e o design de tudo está com ainda mais estilo. Os personagens mudaram novamente, com a inclusão do ridículo robô Zan, por exemplo. E a trama está melhor contada, com a ajuda de certas cut-scenes.

Nota Extra: A música dos scores das fases é a única música que continua nos 3 jogos, podendo ser considerada a música-tema de SoR.

Drive True 20 20America/Bahia dezembro 20America/Bahia 2010

Posted by bluepasj in CURIOSIDADES, GENESISTÓRIAS, Uncategorized.
Tags: , , , , , ,
2 comments

• O SVP era um chip com capacidade polignal muito superior a qualquer outro chip especial em cartucho.
• O botão D (direcional) do Mega Drive era perfeito: Sendo circular e facilitando o uso das 8 direções.
• O Mega Drive, indiretamente, foi de grande importância na classificação etária (muito necessária) dos games: Simplesmente pela rixa com a Nintendo e o advento de Mortal Kombat (e Splatterhouse).
• Streets of Rage é o melhor beat’em up all já feito.
• A qualidade Sonora do Mega era muito melhor que a do super nes.
• Por software, o Mega coseguia fazer os na época famigerados efeitos especiais: Como zoom e rotação, por exemplo.
• Só o Mega tem jogos radicais 16-bit da EA (Skitchin, Road Rash).
• Phantasy Star IV tem várias referências a outros jogos da Sega.
• Sonic foi criado totalmente pensado pra rivalizar com Mario.
• Muitas máquina de árcade da época usavam o mesmo processador do Mega Drive. Inclusive computadores usavam esse chip.

Jogos Non-Stop (Nunca-Param) de Mega Drive 9 09America/Bahia novembro 09America/Bahia 2010

Posted by bluepasj in LISTAS.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Série Shinobi: Os jogos da série shinobi são sobre um ninja e sinceramente são dos mais originais e criativos action games. São três: • Revenge of Shinobi: Clássico dos clássicos. Trilha sonora de Yuzo Koshiro.

Shadow Dancer: Você joga com um cachorro.

• Shinobi 3 Return of the Ninja Master: É o que tem mais gimmicks de jogabilidade. Melhor em todos os quesitos. Jogaço-aço-aço.

Série Streets of Rage: São três jogos com nomes homônimos. Pancadaria como nunca foi vista antes nem depois nos games. É sério que nenhum beat’em up conseguiu superar essa série, com suas técnicas de duplas e golpes especiais.

Série Sonic: Sinônimo de “nunca-jamais-pare”!

Contra: A série Contra é caracterizada exatamente pela non-stop action. E no caso do Mega Drive, a jogabilidade está ainda mais pesada e tudo ainda mais frenético. É bem hardcore…

Gunstar Heroes: Ainda mais frenético do que o Contra e também é melhor. Esse não para mesmo! Felizmente, ele é menos hardcore, mais fácil, do que o Contra, mesmo com maior quantidade de coisas se movendo velozmente na tela.

T.M.N.T.: As Tartarugas Mutantes Ninjas Adolescentes tem um game no Mega Drive que é ação pura também. É o ótimo beat’em up Return of the Shredder – The Hyper Stone Heist.

Série Mortal Kombat: Mortal Kombat não é só um game de luta. É um game de lutas frenéticas e animais, alucinantes.

YuYu Hakusho Sunset Riders (Maykyo Toitsusen): Esse está aqui simplesmente por que jogar um jogo de luta com 4 players na tela (via adaptador) deve ser a coisa mais non-stop ever!

Road Rash: Corrida não poderia faltar numa lista de jogos que não param. Ainda mais quando um novo elemento é jogado na parada. É o que acontece em Road Rash que tem, além da corrida, muita pancadaria.

Skitchin: Outro estilo Road Rash, só que com patins. Tem a pancadaria, e ainda mais elementos, no caso: beirão.

Sparkster: A Konami fez esse mascote que nunca para. E é um jogaço. Só pra se ter uma ideia do quão frenético esse game é: o personagem principal tem um foguete nas costas.

Mercs: O jogo de guerra da Capcom para o Mega Drive entra aqui porque, como numa boa (com o perdão da palavra no contexto) guerra, ele não é parável. Nunca se tem um segundo de paz aqui.

Série Vectorman: Os dois vmans são o que á de melhor no meguinha, principalmente em termos de ação. Isso porque você pode fazer várias ações ao mesmo tempo, sem nenhum slowdown ou quebra de ritmo. Pulo duplo, andar e tiros podem ser feitos ao mesmo tempo!

Shmups: Há uma grande diversidade de jogos ‘navinha’ para o Genesis. E todos eles são altamente frenéticos. Se eu fosse fazer uma lista aqui, seria muito grande. Teria, por exemplo, Thunder Force, Elemental Force, Gaiares e tantos outros.

Comix Zone: Não é só rápido, é dinâmico. E dinamismo é velocidade.

Dynamitte Headdy: Como não poderia deixar de ser num jogo da Treasure, a ação aqui é tão alucinante que é o que mais chama atenção nesse jogo. É até capaz de seus dedos superaquecerem devido ao atrito com as teclas do controle… hahaha