jump to navigation

Mega Drive vs PCs da Época 24 24America/Bahia abril 24America/Bahia 2017

Posted by bluepasj in DUALIDADE, GENESISTÓRIAS, INUTILIDADES.
Tags: , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

É uma curiosidade comum das pessoas saberem como os consoles caseiros de videogame de cada época se comparam aos PCs equivalentes. Sei lá, me bateu essa curiosidade, então decidi pegar umas imagens no MobyGames comparar. Até por que eu nasci no mesmo ano que o Mega, não posso dizer que vivi a época e definitivamente eu não tive um PC até muito tempo depois. Mas aos que viveram… e aos que não viveram também… aproveitem. Lembrando que as imagens do Mega Drive em todas as comparações são as da direita (->).

old pcs

Sharp X68000

O X68000 foi lançado em 87, um ano antes do lançamento japonês do Mega Drive. Como se pode ver, ele compara positivamente ao MD e é de fato mais poderoso. E um dos mais caros também. O processador dele é um da Hitachi baseado no Motorolla 68000. Inclusive uma versão dele teve o Motorolla propriamente dito, o mesmo processador do MD. Inclusive os produtores de Thunder Force II, em entrevista que até já publiquei aqui no DYM, disseram que um dos motivos para decidirem fazer jogos para MD é que faziam jogos para o X68000 e seria uma transição fácil pois “o X68000 compartilha a mesma CPU e chip de som FM do Mega Drive”. md-68000- 2md-68000

Fujitsu FM Towns

Nascido em 89, era um PC japonês. Também é um dos PCs mais potentes de sua época e segundo o site Giantbomb apenas o X68000 rivalizava.

md-fmtowns

PC-98

Vários PCs japoneses da série PC98000 foram lançados pela NEC de 1982 até o ano 2000.

md-pc98

Windows 3X

3X é a designação dada ao sistema operacional Windows 3.0 e seu sucessor Windows 3.1X. O Windows 3 foi a primeira versão do Windows a fazer sucesso.

md-win3x

PC Amiga

Linha de PCs da Commodore lançada de 1985 a 1994.

md - amiga

Amstrad CPC

Sendo um pouco defasado já à época do MD, é um 8-bit lançado em 1984 e descontinuado em 1990. Mas teve ports de alguns jogos que também estiveram no MD, como se vê abaixo.

md - amstradcpc

Apple II

Lançado em 1977, tendo várias revisões posteriores (como Apple II Plus, Apple IIe e Apple IIGS).

md - appleii

Atari ST

Linha de PCs 16-bits lançada em 1985, o primeiro teve como processador o Motorolla 68000.

md - atarist

Commodore 64

O 8-bits C64 foi lançado em 82 e fez muito sucesso nos anos 80.

md - commodore

Macintosh

Feitos pela Apple, o primeiro Macintosh foi lançado em 84.

md - macintosh

ZX Spectrum

O Sinclair ZX Spectrum foi um 8-bits lançado em 1982 no Reino Unido.

md - zxspectrum

DOS

Sistema operacional bastante popular antes do advento do Windows.

md-dos

Anúncios

Ultimate Mortal Kombat 3 – MD vs SN 17 17America/Bahia outubro 17America/Bahia 2016

Posted by bluepasj in DUALIDADE.
Tags: , , , ,
add a comment

UMK3 foi um dos meus jogos preferidos para jogar no Mega Drive que eu tinha. Eu gostava dele até mais do que eu deveria. E eu acho a versão MD muito digna. Mesmo se comparada à versão Arcade, já que ela tem as coisas que são comuns em versões caseiras, como modos de jogo a mais e personagens a mais (Rain e Noob Saibot a mais e a Sheeva a menos). Como o Tournament. Além do mais, é praticamente um novo jogo (baseado na versão arcade), com uma balança completamente diferente. Primeiramente, eu gravei um video de comparação  lado-a-lado.

Então eu também fiz alguns gifs.

snes-umk-gif

sn

 

md-umk-gif

md

output_7lj4Gs.gif

No gif acima é possível ver a qualidade superior das cores no Super Nintendo. Mas em compensação, os quatro cenários abaixo só estão presentes na versão MD.

md-exclusive-umk

Abaixo, mais comparações e, a seguir, meu veredito.umk-sn-md

Claramente a versão Super Nintendo tem gráficos melhores, mas a do Mega fica muito pouco atrás, apresentando também gráficos belíssimos. Acredite, a diferença não é tão grande (e pode-se notar no vídeo). Além do mais, nem tudo são gráficos. A sonoridade toda está muito melhor no Mega Drive, com o som muito mais “limpo”, audível e impactante, enquanto a versão Snes é abafada e suavizada até deixar de ser legal. A jogabilidade também está consideravelmente melhor no console da Sega. Melhor ainda se considerar o joystick do MD, que não usa teclas de ombro (que são horríveis para jogos de luta). E ainda existem cenários a mais no Mega Drive, pra completar a vitória do port para o Meguinha.

P.S.: Apesar da vitória do MD, eu acho os cheats (códigos de trapaça) muito melhores no SN. Há muito mais opções bacanas (como os one-buton fatalities p.ex. (fatalities em um botão)).

Evolução – Taz 10 10America/Bahia setembro 10America/Bahia 2016

Posted by bluepasj in DUALIDADE, EVOLUÇÃO.
Tags: , , , , , ,
add a comment

 

taz-mania-mega-drive-morte-subita

Taz-Mania é o primeiro jogo do Taz da Sega e, sinceramente, um dos piores jogos licenciados que vi da Sega senão o pior. Ele tem qualidades atenuantes, mas está muito abaixo do esperado. Talvez por que a versão MD foi feita por  uma empresa chamada Recreational Brainware e a do Master System que foi feita pela Sega. Primeiro eu vou falar das qualidades atenuantes: o design das fases é levemente interessante, usando mais da verticalidade do que é comum em platformers genéricos, você se move para todos os lados com naturalidade.Outra coisa boa é que o jogo é bem cartunesco, com as caras e bocas do Taz, e fiel à personalidade do marsupial. Agora os (muitos) pontos fracos. Para começar a sonoridade é bem irritante às vezes. Os pulos são flutuantes e imprevisíveis e escorregadios. Há muitas mortes súbitas como a da bomba escondida nas imagens acima, envolvendo nada além de tentativa-e-erro, mas não há vidas suficientes para essa abordagem. Está certo que há uma barra de vida, portanto a morte não é tão súbita assim, mas qualquer dano tira muito da barra. O jogo também é um pouco repetitivo.

taz-in-escape-from-mars-mega-driveTaz in Escape from Mars já foi feito por outra empresa (Head Games, a mesma de X-Men 2 Clone Wars) e é bem melhor, mesmo usando o mesmo esquema de jogabilidade do Mania. Para começar, o uso da licença é muito melhor, já na abertura se nota um cuidado maior até mesmo com a história, que era genérica no primeiro, e temos o uso das empresas ACME e dos marcianos dos desenhos Looney-Tunes. Os gráficos já eram bonitos no primeiro jogo e ficaram ainda mais bonitos agora. Há, também, um maior uso das habilidades do Taz que dão personalidade ao jogo, a trilha sonora deixou de ser irritante, o jogo é menos repetitivo e, o mais importante, os pulos são mais precisos, não perfeitos, mas definitivamente bons o suficiente. Foi também adicionada uma função aos direcionais pra cima e pra baixo, que move a câmera pra cima ou pra baixo e, portanto, ajuda a evitar pulos cegos. Eu acredito, inclusive, que muita gente pode acabar tornando jogos mais difíceis para si mesmas ao não saber desse tipo de detalhes, que estão no manual de instruções. Portanto, o jogo é melhor em todos os quesitos. Melhora o que estava ruim sem abandonar o que estava certo. O jogo, por algum motivo, me lembra um jogo de Super Nintendo, o estilo dele me lembra. Eu acho que o vale a pena, tem algo único nele. A Sega com a licença da Warner pode não ser tão boa quanto com a da Disney, mas pelo menos esse Taz in Escape from Mars funcionou bem.

O MD e os outros sistemas da época 3 03America/Bahia fevereiro 03America/Bahia 2016

Posted by bluepasj in DUALIDADE, LISTAS.
Tags: , , , ,
add a comment

Algumas comparações entre o Mega Drive e outros videogames da mesma época (que não o Snes).

Flashback – The Quest for Identity (MD e 3DO) & (MD e Amiga)gen-3dogen-amiga 3

A versão do 3DO  de Flashback é a mesma do Sega CD. Já a do Amiga tem uma opção de dar zoom na ação quando o Conrad abre fogo, que está ausente nas outras versões.

Chiki Chiki Boys/Mega Twins (MD e Amiga) & (MD e Turbografx CD/PC Engine CD)gen-amiga 4gen-tgxcd 5A versão MD não possui o modo para 2 jogadores. Inclusive o jogo mudou de nome por isso. Antes se chamava Mega Twins (trad.: Mega Gêmeos).

The Addams Family (MD e Amiga)gen-amiga 2

A versão do Amiga tem muito menos background todo o tempo. E tem 2 power ups a menos.

Outrun (MD e Amiga)gen-amiga 5

Strider (MD e Amiga) e (MD e Turbografx CD)gen-amiga 6gen-tgfxcd 6A versão PC Engine foi lançada somente no Japão e não tem muito do parallax scrolling da versão MD, mas tem algumas coisas a mais (cenas, vozes, um nível extra) e o áudio refeito com qualidade de CD. Elementos da versão Amiga foram usados na versão do Master System.

Out of this World (MD e Amiga)gen-amiga

A versão amiga foi a primeira e menos polida versão do jogo.

Samurai Shodown (MD e Neo Geo AES)gen-neogeo

O Neo Geo era o videogame de luxo da época, com cartuchos caríssimos, que comportavam muitíssimo mais conteúdo do que os dos outros videogames de cartucho da época, e inclusive capaz de competir em tamanho com os do N64. Os ports, inclusive SShodown, eram ports perfeitos do arcade (Neo Geo MVS).

Street Fighter 2 (MD e PC Engine/Turbografx)gen-pce 2

A versão PC Engine foi lançada exclusivamente no Japão. Ela tem uma boa acurácia em relação ao arcade. Mas a versão MD é um misto com o Street Fighter 2 Turbo, e também mantem a intro intacta.

Mega Bomberman/Bomberman 94 (MD e PC Engine)gen-pceOs gráficos da versão original (no PC Engine) são muito melhores, com detalhes a mais, cores melhores e mais animações. A versão MD também perde o efeito que diminui o campo de visão nos estágios com temática de horror. A versão MD permite jogar com 4 jogadores, enquanto o original permitia 5.  Apesar disso tudo, o jogo de MD também é muito bom.

Golden Axe (MD e Turbografx CD)gen-tgfxcd 2

A versão PC Engine CD é horrível, como se vê na imagem. Não tem o modo para 2 jogadores, gráficos horríveis e o controle também é ruim.

Ys 3 (MD e Turbografx CD)gen-tgfxcd 3

A versão Turbografx CD é mais fácil no geral.

Wonder Boy in Monster World/Dynastic Hero (MD e Turbografx CD)gen-tgfxcdA versão PC Engine CD, estranhamente, teve todos os visuais mudados, com temática de insetos.

Fatal Fury 2 (MD e Turbografx CD)gen-tgxcd 4

A versão PC Engine saiu apenas no Japão. É um dos melhores ports do jogo, mas como é um jogo de CD tem loadings.

O Mega Drive nos 8 Bits 30 30America/Bahia janeiro 30America/Bahia 2016

Posted by bluepasj in DUALIDADE, LISTAS.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

A seguir estão alguns jogos que estiveram tanto no Mega Drive, quanto no Master System e no Game Gear (e no NES/Nintendinho). Inclusive é nessa ordem que as imagens estão postadas. Acho muito interessante olhar como alguns jogos ficam com downgrade/versão demake. Alguns estão apenas a título de comparação, como Sonic 2, por exemplo, que é um jogo completamente diferente em cada uma das suas três iterações (mega, Master e Game Gear). E o Megaman Willy Wars é, na verdade, um remake dos três primeiros Mega Man do Nintendinho.

The Addams FamilyaddamsfCastle of IllusioncilDynamite HeaddydhEcco the DolphineccoThe Lion KinglkingRoad Rash 2rrashSuper Monaco GP 2smgp2Streets of Rage 2sor2California GamescgDesert StrikeDSGolden Axe

ga

Mercs

m

Strider

sStreet Fighter 2 Champion Editionsf2

Wonder Boy in Monster Worldwbimw

Gunstar Heroes

gh

Ristarr

Spiderman Vs. Kingpinsvk
Sonic the Hedgehog 2sonic

Megaman Willy Wars – Megaman 1/2/3MMWW

Battletoads

btoads nesmd

Fonte das imagens:

MobyGames

Dualidade – Castlevania Bloodlines x Super Castlevania 4 7 07America/Bahia janeiro 07America/Bahia 2015

Posted by bluepasj in DUALIDADE, dym.
Tags: , , , , , , , , , ,
add a comment

Baseado (praticamente copiado) dessa matéria.

Eu li essa matéria em um site em inglês, comparando os dois games e eu gostei muito. Então resolvi traduzi-la para que pessoas que não entendem inglês pudessem lê-la. Até por que eu não acho que conseguiria ser tão observador quanto o cara que a escreveu. Dito isto, eu omiti as partes com as quais eu não concordo (foram poucas) e acrescentei palavras minhas. O que eu acrescentei eu coloquei em itálico para diferenciar. Boa leitura!


Bloodlines e Super Castlevania 4 tem um conflito duradouro nutrido por quase vinte anos na memória dos gamers. Até os dias atuais, muito depois de sua era ter se acabado, os dois jogos lutam uma guerra por seus consoles em tópicos de fóruns. E ainda, depois de quase duas décadas, o argumento ainda não está resolvido para alguns, e questões ainda, de alguma maneira, não estão respondidas. Se o controle de SCIV foi tão revolucionário, por que a Konami nunca de fato o reutilizou? Se a linhagem Morris devia substituir os Belmont, por que foi ignorada por mais treze anos?

O que segue é uma tentativa de examinar estes jogos de maneira comparativa.

História

Embora ambas não sejam grandes e bem-feitas histórias, ainda assim a de Bloodlines apresenta mais intriga e é um pouco mais enfatizada, apresentando como diferencial a inclusão de elementos da mitologia original de Drácula criada por Bram Stocker.

Controle

Os dois jogos possuem jogabilidades muito díspares. Em Bloodlines o movimento é mais rápido do que em outros jogos da franquia, e ainda assim há bastante precisão nos movimentos. As escadas aqui não são mais um problema, já que se pode pular nelas e também pular a partir delas. E apesar de não ser possível mudar a trajetória dos pulos após terem sido feitos, o level design inteligente faz com que isso não seja um problema. LeCarde pode golpear em múltiplas direções com sua lança enquanto parado e Morris pode fazê-lo quando pula. Morris pode usar também seu chicote para se dependurar no teto e LeCarde pode saltar com sua lança para atingir plataformas mais altas.

bloodlinesscivswingbloodlinesscivvault

Em comparação, Simon Belmont em Super Castlevania IV se move mais lentamente.  Não tanto quanto Richter em Dracula X, mas ainda assim mais lento que os de Bloodlines. Simon pode pular em escadas mas não pode pular delas. Seus pulos são controlados enquanto no ar. Ele também pode chicotear em múltiplas direções quando parado ou pulando, e ele pode deixar seu chicote girar ou balançar. Girar o chicote é útil, já que pode bloquear projéteis e matar inimigos.

bloodlinesscivdanglebloodlinesscivtwirling

bloodlinesscivhook2

Aqui é quando e onde você vai se agarrar

bloodlinesscivhook1

Devido ao design de fases bem feito em Bloodlines, Super Castlevania 4 não tem de fato vantagem com seu pulo ajustável. Ambos os jogos tem controle muito bom e, dadas as diferenças de design entre os jogos, nenhum é de fato “melhor” do que o outro.

Fica claro que o MD não usou um chicote que podia ser atirado em qualquer direção para dar maior profundidade ao gameplay, já que para chicotear em qualquer direção você precisa pular, e também ajuda a diferenciar os dois personagens. Além disso, o jogo do Genesis leva vantagem por apresentar dois personagens com habilidades diferentes.

Gráficos

Super Castlevania 4 é um jogo bonito que aplica muitos dos truques de hardware do SNES. É notável que as cores em SCIV são extremamente lavadas e sem graça mas os níveis tem um nível muito grande de detalhes e a eles são dados temas muito bem definidos e atrativos para os separarem. Além disso, tecnicamente,  SCIV apresenta uma profundidade maior na paleta de cores, apesar de não ajudar no visual pouco chamativo. Os tiles que compõem os níveis podem ser óbvios, mas usualmente o jogo não sofre muito desse problema.

bloodlinesscivsuper4 bloodlinesscivsuper1 bloodlinesscivsuper2 bloodlinesscivsuper3

Em sua totalidade, SCIV é visualmente prazeroso. Sua maior falha é no uso dos efeitos especiais do SN. Eles não são sempre feios e, de fato, impressionam; é só que eles são usados de maneiras que sugerem que à sua presença foi dada mais importância do que sua utilidade.

O mapa se aproxima e se afasta com zoom simplesmente por que é possível. Simon passa por um túnel que gira mas não tem nenhum efeito na jogabilidade.

bloodlinesscivspinning

Este gif é muito mais rápido que o evento em si.

bloodlinesscivchandelier bloodlinesscivshrink2 bloodlinesscivspin1

Castlevania Bloodlines, por sua vez, é também muito bonito visualmente, aplicando vários efeitos visuais também. Seu tom é sombrio, de fato mais sombrio que suas contrapartes. O segundo nível em Bloodlines, “Atlantis”, apresenta água refletiva que sobe e desce. Seus arredores são momentaneamente destrutíveis, onde Morris e LeCarde só podem prosseguir quebrando o cenário. O terceiro local é a torre de Pisa, na Itália, com a torre se curvando numa cena memorável. O sexto nível é lar de uma ponte que explode e de um efeito de vidro quebrando, dividindo a visão do jogador como se olhasse por diferentes cacos de vidro.

bloodlinesscivswayingtower bloodlinesscivatlantis bloodlinesscivbridge bloodlinesscivstatue

Geralmente falando, os efeitos gráficos de Bloodlines são usados de maneira mais apropriada; eles não parecem implementados apenas para serem utilizados. Eles também estão mais espalhados pelo jogo, enquanto SCIV usa eles fortemente no quarto nível e os negligencia pelo resto do jogo.

Também se nota que Bloodlines apresenta cores muito mais vivas e bonitas. Claro, isso pode ser explicado pelo fato de que SCIV foi lançado anos antes de Bloodlines, portanto Bloodlines é um jogo mais avançado em sua era.

Os dois jogos não tem muitos níveis em comum, mas alguns são similares.

bloodlinesscivwater1bloodlinesscivwater2  bloodlinesscivclock1bloodlinesscivclock2 bloodlinessciventrance1 bloodlinessciventrance2

Ambos os jogos tem uma quantidade incômoda de espaço tomado por dados no topo de suas telas. Com desvantagem para Bloodlines, que tem um fundo em sua HUD.

Level-Design

SCIV inquestionavelmente tem mais níveis, já que tem onze, enquanto Bloodlines tem seis. Aqueles em SCIV são tipicamente mais curtos, com os estágios 1, 2 e 5 sendo extremamente curtos. De fato, o 5 nem tem chefe.

O primeiro estágio de SCIV começa com uma área de familiarização, assim como Bloodlines. Em Super, esta intro dá lugar a um jardim com vinhas subindo e crescendo enquanto Simon passa por elas. Este estágio é primariamente exterior, com folhagem tomando muitas das estruturas encontradas enquanto Simon passa por elas. O nível ascende e descende, mas nunca se desvia muito de sua estética de jardinagem.

Comparativamente, Bloodlines abre com o castelo de Drácula, que está decaindo em sua ausência. Morris e LeCarde viajam pela entrada familiar, e então sobem pelo que seriam três níveis em uma entrada anterior da franquia. Os backgrounds mudam enquanto os protagonistas vão mais fundo no castelo; a entrada leva a uma prisão e, eventualmente, às ruínas do covil de Drácula. (mais…)